Sim, somos uma empresa de tecnologia. Sim, nossas vendas para o Brasil e outros países são realizadas à distância, mas não, não acreditamos que a Internet substitua nem venha a substituir o contato humano.

“Apenas 35% do significado social de qualquer interação corresponde às palavras pronunciadas, pois o homem é um ser multissensorial que, de vez em quando, verbaliza.”

Esta foi a conclusão de Birdwhistell, o precursor dos estudos sobre Cinésica, em 1985, quando a internet ainda estava surgindo. Mais tarde, em 2006, Alexander Todorov foi mais a fundo no estudo da Cinésica ao constatar que “as pessoas fazem julgamentos umas das outras em um décimo de segundo, apenas pela expressão dos seus rostos”. O estudo foi feito durante a campanha para eleição de senadores nos Estados Unidos. Sem saber, nosso cérebro continuamente interpreta aspectos como linguagem corporal, expressões faciais, postura, tom de voz, até a roupa que se veste.

Quando um consultor experiente visita uma organização, ele percebe muito mais do que palavras e vai muito além da cinésica. Desde uma conversa informal para analisar se o RD é capaz de realizar determinadas tarefas, até um olhar sobre a planta para entender onde estão os problemas. O consultor é capaz de perceber e interpretar cada vez mais dados, por diversas fontes de observação, à medida que adquire prática, e os dados percebidos refletem diretamente na eficácia do projeto de implantação do sistema de gestão da qualidade.

Mas, se tratando de um software, qual a participação da Qualyteam no ecossistema global da ISO 9001? Como parte desse ecossistema, somos influenciadores e influenciados. Podemos contribuir ou depreciar o mercado e, com isso, afetar de forma positiva ou negativa nossos colegas de profissão. Dito isso, trabalhamos de forma pujante para nos aproximar ainda mais de todas as nossas partes interessadas. Elaboramos cada vez menos “definições” sobre suas necessidades e expectativas e cada vez mais “constatações”. Acreditamos que o software pode ser uma ferramenta, não um substituto. Sobrepor contatos interpessoais nunca foi a intenção da rede mundial de computadores e não deve ser o de quem trabalha com ela.

A Internet foi desenvolvida para compartilhar dados, não para estabelecer relacionamentos.

Neste entrecho, passamos a valorizar ainda mais as relações “offline”. Nos empenhamos na participação em encontros do setor e na realização dos próprios eventos, como o Conecta.

Neste evento, recebemos representantes de várias partes do Brasil, incluindo consultores parceiros, clientes e até prospects, com os quais passamos o dia em uma simulação de auditoria, repleta de debates e evolução coletiva.

Neste mesmo período visitamos nossos clientes e conhecemos seus processos pessoalmente. Um a um. E o investimento tem valido muito a pena.

A novidade mais recente, citada pela primeira vez no presente manifesto, é um convite para consultores parceiros visitarem nosso estafe em Balneário Camboriú/SC (se você ainda não recebeu o convite, por favor avise felipe@qualyteam.com).

Com 10 anos de empresa, chegou a hora de sair de cima do muro. Em conversa com alguns consultores, uma semelhança entre eles nos chamou a atenção. Cada um deles foi igualmente conciso e confiante ao afirmar que não faz consultoria online. Por todos os motivos já expressos aqui, ela não é recomendada. Mas ao serem questionados sobre as ferramentas de apoio, em ocasiões em que o contato pessoal passa a ser inviável, os mesmos já recorreram, em algum momento, ao e-mail para sanar uma dúvida ou encaminhar um documento. Já chegaram a trocar alguma informação bem específica via Whatsapp, ou uma conversa urgente no saguão do aeroporto via Skype. É inegável que a tecnologia já se enraizou em nosso cotidiano. Estamos apenas aprendendo a reconhecer seu espaço.

Em outro extremo estão aqueles que resistem à evolução e abraçam um passado que parece seguro, porque o dominam. Há pouco, visitamos uma indústria que matinha 5 bibliotecários responsáveis pela manutenção dos documentos da empresa, inclusive os da gestão da qualidade. Para ter acesso a um formulário padrão, por exemplo, era preciso se deslocar até a biblioteca e pedir auxílio aos profissionais. Além disso, para cada atualização de procedimento, se faziam necessárias 7 cópias, deslocar-se até a sala de cada envolvido no consenso, deixar o papel na mesa e torcer para que cada um lembre de analisar o documento e retornar com o mesmo assinado. A empresa conhece a Internet, mas prefere a segurança do que já domina e assim se distancia da melhoria contínua.

Nos encontramos nesta seara que envolve a “ambivalência da vida”, na qual temos que escolher diariamente entre a segurança de um mundo conhecido, porém velho e a liberdade das possibilidades infinitas, porém líquidas (Zygmunt Bauman discorre muito bem acerca do tema neste vídeo), mas o passo precisa ser dado.

A Internet tem o poder de facilitar, e muito, o acesso à informação, mas não o acesso às pessoas. Ela é incrível para reduzir distâncias, mas não deve ser substituta do contato humano. Este último deve prevalecer, sempre que possível, e é sobre ele que estamos construindo as bases das nossas decisões.


Ivan Gonçalves
Diretor Comercial

Antonio Carlos Silva
Diretor Técnico